Português English Español

Encontre no Pantanal

Cidades do Pantanal

O Pantanal

Pescaria

Info

Home › Fauna e Flora › Mamíferos

Tudo A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Foto: Luiz Sousa

Onça-pintada

Panthera onca

De aparência robusta, com pernas relativamente curtas e cabeça arredondada, sua pelagem apresenta uma tonalidade amarela com manchas pretas em forma de roseta, com exceção da região ventral, que é branca.

Classe: Mammalia

Ordem: Carnivora

Família: Felidae

Nome científico: Panthera onca

Nome vulgar: Onça-pintada

Categoria: Ameaçada

Características: De aparência robusta, com pernas relativamente curtas e cabeça arredondada, sua pelagem apresenta uma tonalidade amarela com manchas pretas em forma de roseta, com exceção da região ventral, que é branca. A onça-pintada é limitada pelas latitudes elevadas. É dotado de grande força muscular, sendo a mordida considerada a maior dentre os felinos. A característica marcante dessa espécie é que ela não mia como os felinos. Emite uma série de roncos muito fortes que são chamados esturro. Suas presas naturais consistem de animais silvestres como catetos, capivaras, peixes, queixadas, jacarés, veados, tatus. No entanto, quando o número destes animais diminui, geralmente por alterações ambientais provocadas pelo homem, as onças podem vir a se alimentar de animais domésticos e por esse motivo são perseguidos. Os machos e as fêmeas encontram-se apenas no período reprodutivo. São territorialistas. Consome grande variedade de animais. Não há uma estação reprodutiva definida. No Brasil foi registrado nascimento entre dezembro e maio, enquanto que em Belize foram registrados entre junho e agosto. A fêmea pode ter de dois a quatro filhotes, que nascem cegos e só abrem os olhos depois de 13 dias. Filhotes permanecem com a mãe até 2,5 anos de idade e a maturidade sexual é alcançada mais cedo pelas fêmeas (2 a 2,5 anos) - Machos estão sexualmente maduros entre três e quatro anos. Tem hábitos noturnos. Na onça-pintada ocorre também o fenômeno do melanismo, comum aos leopardos asiáticos (pantera-negra) e outros felinos. A coloração amarela, neste caso, é substituída por uma pelagem preta ou quase preta. Dependendo da incidência da luz, percebe-se o mesmo tipo de manchas oceladas encontradas nas onças comuns. O animal na forma melânica é chamado de onça-preta e em tupi-guarani recebe o nome de Jaguará-pichuna. Pela sua raridade, a onça-preta é animal que desperta grande procura por parte dos zoológicos de todo o mundo. Durante muito tempo quiseram alguns zoólogos classificar esse animal como uma nova espécie. Um grave erro, visto que a onça-preta pode nascer no meio de uma ninhada de pintadas, bem como de um cruzamento de onças-pretas pode nascer uma onça-pintada. A onça-preta ocorre com freqüência em regiões florestadas. É um animal de impressionante corpulência e agilidade.

Peso: Pesa 130 kg - podendo pesar 158 kg variando conforme localização geográfica.

Comprimento: Um macho adulto chega a medir da ponta à ponta da cauda 2,50m - Livro Vermelho pág. 113; comprimento pode variar entre 1,12m a 1,85m, e a cauda entre 0,45 m a 0,75m. As fêmeas são geralmente de 10 a 20 por cento menores que os machos.

Ocorrência Geográfica: O habitat utilizado, a onça-pintada utiliza locais com densa cobertura vegetal, de preferência úmida, com matas de galeria, margens de rios e lagoas. Todos os Estados do Brasil. Habita preferencialmente o Pantanal e a Amazônia, onde a cobertura vegetal é farta e o acesso à água fácil.

Categoria/Critério: Ameaçados de extinção, destruição de hábitat; caça, perseguição, população pequenas, isoladas e em declínio.

Cientista que descreveu: Linnaeus, 1758

Observações adicionais: Suas principais presas são veados, capivaras e porcos-do-mato.